segunda-feira, 15 de janeiro de 2024

Tropa doente: PMDF só tem um psiquiatra no quadro de médicos efetivos

Distrito Federal

Tropa doente: PMDF só tem um psiquiatra no quadro de médicos efetivos

Tragédia com duas mortes de PMs acende alerta sobre saúde mental na corporação, que tem apenas um psiquiatra

 atualizado 

Compartilhar notícia

Myke Sena/ Especial para o Metrópoles
PM - Metrópoles

Duas vidas foram perdidas em uma tragédia envolvendo policiais militares do Distrito Federal e transtornos psicológicos graves. Enquanto duas famílias choram, outros milhares de militares dentro da corporação enfrentam dificuldades em acessar o tratamento de saúde mental adequado. A Polícia Militar do DF (PMDF) conta com apenas um médico psiquiatra para atender cerca de 10 mil integrantes da tropa.

O caso levantou um alerta na corporação. Mensagens trocadas entre PMs citam falhas dentro da estrutura da Polícia Militar do DF quando o assunto é a saúde mental do efetivo. Um homem chegou a dizer que Paulo Pereira já teria passado por avaliação médica, mas não houve qualquer ação para o retirar do serviço de viatura nas ruas, armado.

Atualmente, a PMDF tem o Centro de Assistência Psicológica e Social (Caps), subordinado à Diretoria de Assistência à Saúde (DAS) e ao Departamento de Saúde e Assistência ao Pessoal (DSAP), para dar assistência em saúde mental para policiais militares e beneficiários. Mas, como o Metrópoles já havia mostrado em julho de 2023, o quadro de médicos efetivos tem apenas um psiquiatra.

A matéria também mostrou que a corporação contava com somente 54 médicos efetivos para zelar pelas aproximadamente 72 mil vidas de policiais militares da ativa, da reserva e familiares. Policiais relatam “sucateamento” do Centro de Assistência Social da PMDF devido aos baixos investimentos em profissionais adequados.

Em nota, a Polícia Militar afirmou que “possui rede credenciada do sistema de saúde, dispondo atualmente de clínicas de psiquiatria e de psicoterapia para atendimento”. “Além disso, a PMDF, por meio da Capelania Militar e do Centro de Promoção e Qualidade de Vida, conta com assistência psicológica que funciona 24 horas, sete dias na semana, além de promover cursos para a saúde mental do policial militar.”

A corporação acrescentou que, no próximo concurso para médicos, “há previsão de [abertura de] cinco vagas para psiquiatras, sendo três para provimento imediato, e duas para cadastro reserva”.

Detidos também denunciam

A tragédia gerou preocupação também em familiares de policiais militares que lutam contra transtornos psicológicos e/ou psiquiátricos. Além dos PMs que estão nas ruas, a cúpula da corporação que está encarcerada, aguardando julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre os atos de 8 de Janeiro, denuncia falta de acesso aos tratamentos adequados.

Fontes ouvidas pelo Metrópoles relatam que a PMDF alega, em laudos de inspeção pericial, que os militares d

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

 Bom dia senhores! Ontem o filho do Cb Nascimento da 94° Cia TM 28° BPM foi vitima de um acidente de trânsito em Unaí. Ele está internado na...