terça-feira, 25 de junho de 2024

Eu vou boic0tar

 


 


otempo

 

COMPOSIÇÃO - O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), não descarta nenhuma possibilidade para a eleição presidencial de 2026 e diz querer apenas “participar do processo”. Ele, inclusive, não deixa de lado ser candidato a vice-presidente em uma composição com outro candidato da direita e, posteriormente, assumir um ministério, como fez Geraldo Alckmin (PSB) na gestão de Lula (PT). A declaração ocorreu nesta segunda-feira (24) durante conversa com jornalistas.

Questionado se estará na disputa presidencial em 2026, Zema disse que ainda não há uma resposta. Contudo, o governador afirmou que irá participar do processo "de toda forma", seja dando apoio a alguém, seja sendo vice em alguma chapa ou seja participando de alguma outra maneira.

"Não ligo de ser vice, o que eu quero é participar", declarou o governador. "O que eu quero é fazer parte para mudar o Brasil", reforçou.

Zema ainda disse que governadores de centro-direita estão juntos para encontrar um nome ideal para concorrer à presidência nas próximas eleições gerais e que a alternativa à direita para o Brasil passará pela união destes governadores. Dentre eles, estariam nomes como Ronaldo Caiado (União Brasil), governador de Goiás, e Tarcísio de Freitas (Republicanos), governador de São Paulo.

"Estão enviando P.A no dia de folga do militar, para comparecer no outro dia de manhã para instrução, e se o militar não acessar o P.A, o superior imediato liga para dar ciência. Detalhe diversos militares moram fora da fração a mais de 50km".

 


PPMG: 103 candidatos que foram nomeados, mas optaram por não tomar posse.


excedentesppmg_oficial

 Na data de 19/06/2024, foi publicada, no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, uma listagem com os nomes de 103 candidatos que foram nomeados, mas optaram por não tomar posse.


Dessa forma, tais desistências somam-se às 454 que ocorreram durante o Curso de Formação Técnico-Profissional, PERFAZENDO O TOTAL DE 557 até o presente momento!


Vale ressaltar que ainda não foram computabilizadas as desistências da Turma 03 (que está na etapa de realização de perícia médica) e que, portanto, o quantitativo final, inevitavelmente, sofrerá acréscimos.


Ademais, relatos provenientes do próprio sistema prisional dão conta de estar havendo inúmeros pedidos de exoneração, diante da não adaptabilidade, na prática, com o serviço.


Assim, tais acontecimentos apenas reforçam a necessidade da convocação do restante dos excedentes, a fim de recompor o inesperado déficit provocado pelo alto índice de abandono.


 estadodeminas

 

🗣️ Valor de dívida pode comprometer pagamento de salário

O governo de Minas está preocupado com o fim do prazo para adesão ao Regime e Recuperação Fiscal (RRF), marcado para o dia 20 de julho, e com a possibilidade de ter que voltar a pagar as parcelas da dívida de R$ 160 bilhões do estado com a União.

De acordo com o secretário de estado da Fazenda, Luiz Cláudio Lourenço Gomes, o caixa do governo “não comporta esse pagamento” que seria da ordem de R$ 12 bilhões ao ano. Segundo ele, pode haver atraso no pagamento dos salários do funcionalismo caso o estado tenha que retomar os pagamentos nos moldes das regras em vigor do RRF.

De agosto de 2022 a junho deste ano, o estado pagou apenas R$ 4,6 bilhões dessa dívida, que aumentou 156,8% de 2018 até o primeiro quadrimestre deste ano.

Os dados foram apresentados pelo secretário da Fazenda aos deputados na tarde desta segunda-feira (24/6) durante o projeto Assembleia Fiscaliza, onde dirigentes de pastas e órgãos do estado prestam contas aos parlamentares.

📷 Guilherme Dardanhan/ALMG

segunda-feira, 24 de junho de 2024

É com grande satisfação que hoje apresento os pré-candidatos da segurança pública às eleições municipais de 2024. Em um momento de reflexão para a classe, onde a segurança se torna uma pauta prioritária, trazemos uma proposta inovadora: 'Polícia vota em polícia'. Com profissionais comprometidos com a proteção e bem-estar de todos os cidadãos, essa é a oportunidade de eleger representantes que entendem as demandas e desafios da área da segurança pública. Juntos, vamos construir um futuro mais seguro e justo para a classe e a sociedade. Contamos com o apoio de todos vocês nessa importante jornada. Obrigado!











 É com grande satisfação que hoje apresento os pré-candidatos da segurança pública às eleições municipais de 2024. Em um momento de reflexão para a classe, onde a segurança se torna uma pauta prioritária, trazemos uma proposta inovadora: 'Polícia vota em polícia'. Com profissionais comprometidos com a proteção e bem-estar de todos os cidadãos, essa é a oportunidade de eleger representantes que entendem as demandas e desafios da área da segurança pública. Juntos, vamos construir um futuro mais seguro e justo para a classe e a sociedade. Contamos com o apoio de todos vocês nessa importante jornada. Obrigado!

mas ainda não há data definida para pagamento do retroativo.


sargentorodriguesoficial

 Servidores vão receber o salário, aplicada a recomposição (migalhas) de 4,62%, no próximo 5° dia útil de julho. A informação foi confirmada pela Secretária de Planejamento e Gestão, no Assembleia Fiscaliza, em resposta aos meus questionamentos. A sanção da lei acontece até o próximo dia 27, mas ainda não há data definida para pagamento do retroativo. 


estadodeminas

 💵 Governo ainda não sabe como pagará o retroativo do aumento


O governador Romeu Zema (Novo) ainda não sancionou o Projeto de Lei da correção do salário dos servidores em 4,62%, aprovado em definitivo pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), no último dia 6 de junho.


No entanto, a secretária de Planejamento, Camila Neves, em depoimento no Assembleia Fiscaliza, programa do parlamento onde os órgãos do estado prestam contas aos deputados, garantiu que o estado vai pagar já em julho, no quinto dia útil, os salários já corrigidos.


Em relação à correção retroativa a janeiro, prevista no projeto de lei, mas sem data específica para ser paga, a secretaria não informou a data que ela será quitada e nem se será feita em parcela única ou parceladamente.

Projetos de interesse dos servidores da segurança pública em tramitação no Congresso Nacional:



Secretária diz que concessão de laudo da Cidade Administrativa é de responsabilidade dos bombeiros



 




A secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Camila Neves, informou, nesta segunda-feira (24), que o governo ainda não sabe como pagará o aumento retroativo dos salários dos servidores da administração direta do Estado. De acordo com ela, durante prestação de esclarecimentos no Assembleia Fiscaliza, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a pasta conduz um estudo para determinar como serão feitos os repasses ao funcionalismo. 

“Temos uma situação fiscal extremamente delicada. Temos no dia 20 de julho uma data ainda mais agravada, se tivermos que voltar a pagar a dívida (de Minas com a União). Importante ressaltar que nossa situação é sensível, é preciso dar os passos que cabem nas nossas pernas. Nossos passos são cuidadosos”, declarou.

Ela declarou ainda que os servidores receberão os aumentos, de 4,62%, conforme aprovado em lei pela ALMG, a partir do 5º dia útil de julho. O coeficiente é equivalente à inflação do ano de 2023 e não representa aumento real para os vencimentos dos servidores do Estado. 

“A própria lei aprovada prevê retroativo de janeiro até o dia da promulgação da lei, e o Estado não tem nenhuma intenção de não cumprir a lei. Estamos fazendo estudos internos para ver como se dará", declarou Camila.

 


Os servidores do Estado também não estão satisfeitos com a demora do governador para publicar no Diário Oficial do Estado a sanção da lei aprovada na Assembleia e há, inclusive, um medo de que alguma parte seja vetada. 

“Primeiro, para categoria, a insatisfação permanece com os 4,62% (reajuste concedido) e, para piorar, não sabem como vai pagar os atrasados (retroativo). Então, isso só vai reacender na categoria a sensação de que o governo não valoriza a segurança pública. Esse é um governo que você não pode confiar nele, nós só vamos acreditar que a lei vai valer a partir do instante em que for sancionada”, declarou o presidente da Associação dos Praças Policiais e dos Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra), Subtenente Heder Martins.

Manifestações continuam

Os servidores destacaram, ainda, que vão continuar com as manifestações reivindicando um reajuste ainda maior, além da retirada dos projetos do Ipsemg e IPSM da pauta da Assembleia Legislativa.

“O governador Romeu Zema pode ter certeza que nós continuaremos fazendo as manifestações onde ele estiver. Onde ele marcar que estará, nós estaremos lá, mostraremos nas cidades, mostraremos no interior e, principalmente, naqueles lugares onde ele teve uma votação expressiva, quem é o governador Romeu Zema”, afirmou o investigador Wemerson Oliveira, presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil no Estado de Minas Gerais (Sindipol).

A reportagem questionou o governo de Minas Gerais sobre o motivo da lei do reajuste de 4,62% não ter sido sancionado ainda, mas não obteve retorno.

Secretário de Governo de Zema admite que salário dos servidores 'não é adequado' Em audiência na ALMG, Gustavo Valadares argumentou, porém, que reajuste concedido é o possível diante das limitações de caixa Por Clarisse Souza Publicado em 24 de junho de 2024 | 12:11 Atualizado em 24 de junho de 2024 | 15:37

 

Secretário de Governo de Zema admite que salário dos servidores 'não é adequado'

Em audiência na ALMG, Gustavo Valadares argumentou, porém, que reajuste concedido é o possível diante das limitações de caixa 

Por Clarisse Souza
Publicado em 24 de junho de 2024 | 12:11 Atualizado em 24 de junho de 2024 | 15:37










O reajuste salarial de 4,62% a ser concedido aos servidores públicos de Minas Gerais após aprovação de projeto de lei do Executivo estadual “não é o adequado”, admitiu, nesta segunda-feira (24), o secretário de Governo, Gustavo Valadares, durante audiência da Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa (ALMG). O titular da pasta argumentou, no entanto, que o valor oferecido pela gestão de Zema é “o possível”, diante das limitações orçamentárias enfrentadas pelo Estado.  “O salário do servidor não nos orgulha. Sabemos que não é o adequado. Mas (o reajuste aprovado) é a remuneração possível para que possamos manter as obrigações em dia, com salário em dia, 13º sendo pago, para as obrigações com as prefeituras sendo pagas em dia, para que investimentos em saúde e educação não parem de acontecer”, declarou o secretário, durante prestação de contas em reunião do Assembleia Fiscaliza. 

Pressionado por parlamentares a esclarecer por que o governo não se dispôs a atender reivindicações do funcionalismo, que pedia, por exemplo, um reajuste suficiente para recompor ao menos as perdas inflacionárias acumuladas entre 2022 e 2023, Valadares apontou impedimentos impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).
“Temos o problema de ter ultrapassado em 2 pontos percentuais o limite dos gastos com pessoal na Lei de Responsabilidade Fiscal, o que nos veda dar recomposições diferenciadas a certas categorias de servidores. A questão principal é a questão de caixa”, justificou o secretário de Governo. 
Em contrapartida, o deputado estadual sargento Rodrigues rebateu os argumentos de Valadares, ao pontuar que a LRF não impede a concessão de reajustes destinados a recompor perdas inflacionárias. “O governo não tem impedimento legal. Se vossa excelência continuar batendo na tecla que tem impedimento financeiro, posso até entender, mas impedimento legal não tem”, disparou o parlamentar. 

Valadares ainda rebateu críticas sobre a demora do governador Romeu Zema (Novo) em sancionar a lei que concede o reajuste salarial de 4,62% aos servidores. Segundo o secretário, isso será feito até quinta (27), dentro do prazo previsto. “Não haverá prejuízo. Todos os servidores receberão o valor retroativo a janeiro de 2024”, ressaltou.
https://www.otempo.com.br/politica/2024/6/24/secretario-de-governo-de-zema-admite-que-salario-dos-servidores-



Tesouro Nacional a Zema: reajuste de 300% contraria RRF Zema concedeu reposição salarial aos servidores de só 3,62% e o elevou a 4,62% (inflação oficial), após muita pressão

 Há 30 dias, o governador Zema foi notificado pelo Conselho Supervisor do Regime de Recuperação Fiscal (RRF), ou Tesouro Nacional, sobre o reajuste de 300% dado a ele e ao secretariado.


Bandidos se passam por policiais para assaltar traficantes no Aglomerado da Serra

 *FALSOS POLICIAIS*  


Bandidos se passam por policiais para assaltar traficantes no Aglomerado da Serra


Veja vídeo: https://www.itatiaia.com.br/cidades/2024/06/24/video-bandidos-se-passam-por-policiais-para-assaltar-traficantes-no-aglomerado-da-serra?utm_source=whatsapp&utm_medium=refer%C3%AAncia&utm_campaign=Cidades


+📻Ouça a Itatiaia ao vivo pela internet: https://www.itatiaia.com.br/


A Câmara dos Deputados e o Senado Federal vão entrar em recesso informal em razão das festas juninas.

 


A Câmara dos Deputados e o Senado Federal vão entrar em recesso informal em razão das festas juninas. Arthur Lira (PP) e Rodrigo Pacheco (PSD), presidente das Casas, dispensaram a presença física dos parlamentares entre esta segunda-feira (24) e sexta-feira (28).


Durante participação no #JornaldaManhã, o comentarista Cristiano Beraldo criticou a 'folga' dos parlamentares. 


"É realmente uma piada [...] Esquecem que quem pula fogueira é a população brasileira, que acorda cedo, pega trânsito, encara ônibus e trem, e paga imposto para bancar a vida que eles têm lá", disse Beraldo.


📺 Confira na JP News e Panflix 👉 https://bit.ly/3SS2fab

Ex-vice-governador fala que Zema é ‘medíocre’ e ‘pouco ousado’ Paulo Brant, que foi vice-governador do primeiro mandato do governo Zema, é pré-candidato como vice-prefeito à BH


Por acaso os representantes dos militares estaduais fizeram estudo do projeto de lei do IPSM, ou continuam com o chavão vazio de que "o IPSM vale uma guerra." Este discurso vazio será o fim do regime próprio de previdência construído com a luta e sacrifício dos militares e suas famílias.

 


Projeto de reajuste salarial na segurança pública vai à CCJ Texto também considera critérios nacionais para promoção e beneficia bombeiros, policiais e outras categorias.

 O Projeto de Lei 2.573/2021, que cria o Pacto Nacional para o Fortalecimento e a Valorização dos Profissionais da Segurança Pública, está em análise na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

O projeto prevê:

 * Reajuste salarial: Aumento periódico dos vencimentos, com base na inflação e em outros critérios a serem definidos;

 * Critérios nacionais para promoção: Definição de regras claras e objetivas para a progressão na carreira;

 * Outras medidas: Melhorias nas condições de trabalho, na saúde ocupacional e na previdência social.

O projeto beneficia as seguintes categorias:

 * Policiais militares e civis;

 * Bombeiros militares;

 * Agentes penitenciários;

 * Peritos criminais;

 * Outros profissionais da segurança pública.

A aprovação do projeto é considerada importante para valorizar os profissionais da segurança pública e melhorar a qualidade dos serviços prestados à população.

Acompanhe a tramitação do projeto:

 * PL 2.573/2021 no Senado: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2024/06/18/projeto-de-reajuste-salarial-na-seguranca-publica-vai-a-ccj

 O Projeto de Lei 2.573/2021 cria o Pacto Nacional para o Fortalecimento e a Valorização dos Profissionais da Segurança Pública.

O que o projeto prevê:

Reajuste salarial:

 * Aumento periódico dos vencimentos, com base na inflação e em outros critérios a serem definidos;

 * Revisão anual dos vencimentos;

 * Gratificações por desempenho e periculosidade;

Critérios nacionais para promoção:

 * Definição de regras claras e objetivas para a progressão na carreira;

 * Tempo mínimo de serviço em cada posto ou graduação;

 * Avaliação de desempenho;

 * Cursos de aperfeiçoamento;

Outras medidas:

 * Melhorias nas condições de trabalho, incluindo:

   * Infraestrutura adequada;

   * Equipamentos de segurança;

   * Jornada de trabalho justa;

 * Melhorias na saúde ocupacional, incluindo:

   * Plano de saúde;

   * Assistência psicológica;

   * Licença para tratamento de saúde mental e física;

 * Melhorias na previdência social, incluindo:

   * Aposentadoria especial;

   * Pensão por morte;

   * Auxílio-doença;

Quem será beneficiado:

 * Policiais militares e civis;

 * Bombeiros militares;

 * Agentes penitenciários;

 * Peritos criminais;

 * Outros profissionais da segurança pública.

Tramitação do projeto:

 * O projeto está em análise na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

 * A CCJ deve emitir um parecer sobre o projeto, que será votado pelo Plenário do Senado.

 * Se aprovado no Senado, o projeto seguirá para a Câmara dos Deputados.

Acompanhe a tramitação do projeto:

 * PL 2.573/2021 no Senado: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/149146

 * Notícias sobre o projeto: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materihttps://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/149146as/-/materia/149146

O que você acha do projeto?


É com enorme pesar que comunico o falecimento do 3º SGT BM Veterano Feruthio Antônio Bottaro Neto.Ele serviu em Belo Horizonte e em Governador Valadares. O sepultamento será no cemitério da cidade de Governador Valadares Memorial Park. Dia 25/06 às 08h. Que Deus conforte familiares e amigos.

 


É com enorme pesar que comunico o falecimento do 3º SGT BM Veterano Feruthio Antônio Bottaro Neto.Ele serviu em Belo Horizonte e em Governador Valadares.

O sepultamento será no cemitério da cidade de Governador Valadares Memorial Park. Dia 25/06 às 08h.  Que Deus conforte familiares e amigos.

Ação heroica salva bebê engasgada em João Monlevade

 


O Dia Nacional do Policial e Bombeiro Militar, comemorado em 24 de junho, é resultado de um projeto de autoria do dep sub Gonzaga , que virou a Lei Federal 13.449/2017. O reconhecimento merecido que dá ainda mais visibilidade para a importância dos policiais e bombeiros militares na garantia da paz social. Um feliz dia a todos! #semlutanaohaconquista

 


 


Secretaria-Geral da Mesa Ofício 1414 2024 SGM ao Governador do Estado, encaminhando a Proposição de Lei 25820 2024 para sanção. Data do envio: 6/6/2024. Data máxima para sanção: 27/6/2024. Proposição de Lei publicada no DL em 7/6/2024, pág 48.

 


Secretaria-Geral da Mesa


Ofício 1414 2024 SGM ao Governador do Estado, encaminhando a Proposição de Lei 25820 2024 para sanção. Data do envio: 6/6/2024. Data máxima para sanção: 27/6/2024. Proposição de Lei publicada no DL em 7/6/2024, pág 48.

Estrita Legalidade: coloca na conta do governador



Fim de semana violento termina com 14 homicídios na Grande BH; nenhum suspeito foi detido

Dez homicídios foram registrados só neste domingo (23) em BH, Sete Lagoas, Ribeirão das Neves e Pedro Leopoldo


Dia do Policial Militar homenagem aos heróis da segurança pública

 





Dia do Policial Militar homenagem aos heróis da segurança pública


A escolha do dia 24 de junho para essa celebração remonta a um evento marcante na história da Polícia Militar. Em 1997, no estado de Minas Gerais, o cabo Valério dos Santos Oliveira foi tragicamente atingido por uma bala perdida enquanto participava de uma manifestação por melhores condições de trabalho n
Na PMMG. dos policiais militares e de expressar nossa gratidão por sua dedicação e coragem.

domingo, 23 de junho de 2024

Sentimentos aos familiares e amigos

 


 


 RV MANTENA, RV 14 RPM, ALFENAS, IPATINGA, PATOS DE MINAS, 3° BPM, 55 BPM, 4 RV, RV ALMENARA, ESMERALDAS, ARAGUARI, 2 cia RV BUENOPOLIS,  183 CIA ARAXÁ, RV CAMBUQUIRA, NOVA LIMA 1 IND, 11 CIA IND PEDRO LEOPOLDO, Campina verde , 

RV CONCEIÇÃO MATO DENTRO

em Atualização 


sábado, 22 de junho de 2024

A verdadeira casta de privilegiados que ocupa cargo público sem concurso e até mesmo sem competência e MAMA no dinheiro público...

 A verdadeira casta de privilegiados que ocupa cargo público sem concurso e até mesmo sem competência e MAMA no dinheiro público...



https://www.otempo.com.br/politica/2024/6/21/governo-zema-emprega-ao-menos-oito-filiados-ao-novo-ao-custo-de-.amp



Governo Zema emprega ao menos oito filiados ao Novo ao custo de R$ 2,1 milhões por ano

Cientista político frisa que prática é comum e legal, mas vai contra o que prega partido desde fundação, e governo diz que só efetiva pessoas com comprovação de habilidades e experiência

Por Leonardo Augusto

Publicado em 21 de junho de 2024 | 19

O governo Zema acolheu na gestão estadual ao menos sete candidatos de seu partido derrotados nas eleições de 2022. Eles foram nomeados para cargos que representam despesas anuais com a folha de pagamento de pelo menos R$ 2,1 milhões, levando em conta os salários e 13º. O valor envolve ainda a contratação de um ex-presidente do Novo, que não disputou o pleito. Os salários conhecidos dos correligionários oscilam entre R$ 4.608,28 e R$ 36.606,71.

O governo Zema acolheu na gestão estadual ao menos sete candidatos de seu partido derrotados nas eleições de 2022. Eles foram nomeados para cargos que representam despesas anuais com a folha de pagamento de pelo menos R$ 2,1 milhões, levando em conta os salários e 13º. O valor envolve ainda a contratação de um ex-presidente do Novo, que não disputou o pleito. Os salários conhecidos dos correligionários oscilam entre R$ 4.608,28 e R$ 36.606,71.


O Novo enviou nota afirmando que, quando o partido é consultado, indicações são feitas para que passem por processo de seleção. “Abominamos privilégios, essa não é a prática do Novo. A gestão Romeu Zema é uma gestão responsável com Minas e com os mineiros, fazendo gestão autônoma, sem influência do partido”, afirmou o texto. Cargos

Entre os correligionários de Zema chamados para o governo, está o ex-presidente do Novo em Minas Bernardo Santos, que é secretário de Estado de Comunicação Social. O salário é de R$ 34.656,39, e o ex-dirigente do Novo está no cargo desde junho de 2023. O atual presidente da legenda em Minas, Christopher Laguna, que substituiu Santos, também foi chamado para o governo e ocupa o cargo de assessor executivo da presidência da Copasa. A reportagem, porém, não conseguiu confirmar o salário dele. Por isso, o indicado foi excluído da conta por meio da qual se chegou à despesa de R$ 2,1 milhões com os contratados.


A reportagem questionou o presidente do Novo sobre sua formação. Laguna, porém, solicitou que uma rede social de dados profissionais fosse consultada. Nela, ele diz ser “empreendedor, apaixonado por tecnologia, economia e política”. Questionamentos foram enviados para a Copasa sobre a contratação do presidente do Novo, mas não houve retorno.Assembleia de Minas, foi nomeado em novembro de 2023 para cargo na Diretoria de Simplificação do Ambiente de Negócios da secretaria. O salário não foi informado. 


Lucas Gonzales disputou vaga na Câmara dos Deputados e foi nomeado secretário geral adjunto em novembro de 2023, com salário de R$ 36.606,71, onde ficou até o início do mês, quando saiu para disputar a eleição. “Fico muito honrado com o convite e acredito que o Novo segue cumprindo seus princípios e valores com nomes preparados”, disse.o pagamento dele. Um e-mail com questionamentos foi enviado ao diretor, mas não houve retorno.


Estado

Na nota enviada pelo governo, a administração Zema diz também que as nomeações sem concurso público são definidas com base na experiência profissional e capacidade técnica. 


“As nomeações também levam em conta a necessidade da estruturação administrativa e a racionalização do uso dos recursos públicos, sempre com foco no desenvolvimento do Estado e no melhor atendimento possível à população”.


Com exceção de Guilherme da Cunha, a reportagem enviou e-mails para os endereços dos servidores e, quando seus contatos não estavam na página do governo, as mensagens foram direcionadas para o setor em que trabalham. Não houve retorno. 


Os dados sobre os vencimentos citados, em valores brutos, estão no Portal Transparência do Estado. As informações disponíveis são de abril de 2024. (Com Clari.sse Souza.








A família do Sargento Dias estará na Câmara recebendo a homenagem. E é muito importante a sua presença para memorizar ainda mais este momento, valorizando a memória do Sargento Dias. *Principalmente você Policial Militar.*

 


A Câmara Municipal de Campo Belo/MG, tem a honra de convidar a todos para a entrega de *MOÇÃO DE APLAUSO “in memorian” ao Ilustríssimo Sargento Dias,* que será  realizado no dia 24 de junho, as 18:00 horas, no Plenário da Câmara. A sua presença é muito importante neste momento onde faremos memória honrosa da passagem do Sargento Dias, da Polícia Militar de Minas Gerais, que dedicou toda a sua juventude para a segurança da população mineira.


*Vereador Gustavo Protásio autor da Moção*

Esse negócio de curtir mensagens, vídeos, etc, onde terceiros criticam superiores está dando cadeia. @doutorrenatoramos.usp

 



 


sexta-feira, 21 de junho de 2024

Estamos ajudando um cabo que ficou 14 anos na polícia e agora caiu a liminar. Ele já passa dificuldades financeiras, essa ajuda vai ajudar nosso irmão a seguir sua vida

 



Estamos ajudando um cabo que ficou 14 anos na polícia e agora caiu a liminar.

Ele já passa dificuldades financeiras, essa ajuda vai ajudar nosso irmão a seguir sua vida



https://rifando.vip/operacao-mao-amiga-01bb919


Militares divorciados/separados impactados por medida chocante: impossibilidade de residir na Vila Militar

 


 


O governo de Minas Gerais deve manter fixada em 10,5% a contribuição de servidores ao Instituto de Previdência Social dos Militares (IPSM), pelo menos até que seja julgado um recurso do Executivo que contesta decisão proferida pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-MG).

 @otempo



O governo de Minas Gerais deve manter fixada em 10,5% a contribuição de servidores ao Instituto de Previdência Social dos Militares (IPSM), pelo menos até que seja julgado um recurso do Executivo que contesta decisão proferida pelo  Tribunal de Contas do Estado (TCE-MG). A Corte havia determinado que o governo cumprisse, até 5 de junho, as normas previstas na Lei Estadual 10.366/1990, que prevê desconto de 8% na folha de pagamento dos militares para custeio de pensões e proventos dos inativos. No entanto, segundo o secretário-geral do Estado de Minas Gerais, Marcel Dornas Beghini, a administração estadual só deve fazer eventuais mudanças no valor da alíquota após uma sentença definitiva, ainda sem data para ocorrer.


“No momento, no processo, estamos com estamos com recurso ordinário, que tem efeito devolutivo e suspensivo. É devolutivo pois devolve a discussão para os julgadores fazerem uma reanálise. É suspensivo na medida em que suspende a decisão debatida pelo recurso. O mero recebimento do recurso suspende a decisão”, afirmou Beghini, ao justificar por que o governo de Minas ainda não cumpriu a determinação do TCE. A declaração foi dada nesta sexta-feira (21), durante audiência pública da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa (ALMG), que reuniu representantes do governo, do IPSM e de entidades que representam policiais e bombeiros militares. Mesmo tendo uma legislação estadual para tratar do tema, o governo de Minas Gerais tem se amparado em uma legislação federal de 2019, que determinou que os Estados sigam o mesmo percentual de contribuição 


Questionado pelo presidente da Comissão de Segurança Pública, deputado Sargento Rodrigues (PL), se o governo pretende devolver ao IPSM os valores da contribuição previdenciária que deixaram de ser pagos, o secretário-geral afirmou apenas que “o Estado é deficitário” e que já “faz todos os aportes necessários para que os militares não fiquem desassistidos” por meio de complementação de recursos para o instituto. Apesar disso, Beghini afirmou que “o governo do Estado tem o maior respeito pelas instituições democráticas e a decisão definitiva (do TCE), quando ela vier, será cumprida”.

Relatório interno: assassinatos ligam alerta em 73% das regiões da PM em MG

Relatório interno: assassinatos ligam alerta em 73% das regiões da PM em MG

Ferramenta de gestão da PM indica que a taxa de homicídios superou meta de controle em 14 das 19 áreas mapeadas em MG. Saiba em quais a situação é mais crítica


Policiais e bombeiros que foram ajudar no RS, foram voluntários ou tem direito a diárias? Só para eu ver um negócio aqui... 😬🙄

 



SEDE DO GOVERNO

Bombeiros admitem que Cidade Administrativa está irregular, mas descartam intervenção

A declaração ocorreu durante sessão da Comissão de Segurança Pública da Casa, quando era realizado o Assembleia Fiscaliza





Por Lucas Negrisoli
Publicado em 20 de junho de 2024 | 16:54 Atualizado em 20 de junho de 2024 | 19:15

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, coronel Erlon Dias do Nascimento Botelho, afirmou nesta quinta-feira (20), durante sessão do Assembleia Fiscaliza, que os prédios Minas e Gerais da Cidade Administrativa estão irregulares devido à falta do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), mas descartou a necessidade de intervenção das duas edificações. Conforme revelado por O TEMPO em maio, a sede do governo de Minas nunca teve, desde a sua fundação, o documento

SEDE DO GOVERNO

Bombeiros admitem que Cidade Administrativa está irregular, mas descartam intervenção

A declaração ocorreu durante sessão da Comissão de Segurança Pública da Casa, quando era realizado o Assembleia Fiscaliza

Por Lucas Negrisoli
Publicado em 20 de junho de 2024 | 16:54 Atualizado em 20 de junho de 2024 | 19:15

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, coronel Erlon Dias do Nascimento Botelho, afirmou nesta quinta-feira (20), durante sessão do Assembleia Fiscaliza, que os prédios Minas e Gerais da Cidade Administrativa estão irregulares devido à falta do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), mas descartou a necessidade de intervenção das duas edificações. Conforme revelado por O TEMPO em maio, a sede do governo de Minas nunca teve, desde a sua fundação, o documento

“Os prédios, não tendo AVCB, estão irregulares. Porém, o que minimiza a questão da Cidade Administrativa, e nós já fizemos diversas vistorias, é que ela tem diversos sistemas preventivos, como sistemas de hidrantes, extintores, rotas de fuga. Tem situações que não nos levam a concluir que haja risco iminente. É possível que a cidade administrativa funcione sem interdição, que é uma intervenção mais drástica da instituição”, afirmou o bombeiro. “Os prédios são irregulares, mas não são impeditivos de funcionamento porque dispõe de sistemas preventivos”, conclui o militar. 

De acordo com o chefe do Corpo de Bombeiros, os prédios Minas e Gerais não são os únicos edifícios públicos com irregularidades do tipo em Minas, mas o problema é amplo e espalhado pelo Estado. O militar ainda afirma que é possível que haja regularização dos prédios e que uma discussão sobre isso está em vigor desde 2019. 

“A Cidade Administrativa, tirando o prédio Alterosa, que foi o último a ser construído, não tem auto de vistoria e está totalmente irregular. Desde 2019 nos reunimos e já fizemos uma proposição de um cronograma para que isso fosse regularizado”, continua o coronel.

Eu vou boic0tar