sábado, 20 de julho de 2024

Que a amizade, a união e a camaradagem sejam sempre fortes entre vocês. Que vocês encontrem sempre apoio e força uns nos outros. Parabéns pelo Dia do Amigo! #DiaDoAmigo #SegurançaPública #Homenagem #gratidao #blog #blogdarenata #blogdarenatapimenta

 


Que a amizade, a união e a camaradagem sejam sempre fortes entre vocês. Que vocês encontrem sempre apoio e força uns nos outros.

Parabéns pelo Dia do Amigo!

#DiaDoAmigo #SegurançaPública #Homenagem #gratidao #blog #blogdarenata #blogdarenatapimenta 

Mês de Julho. Uso e Consumo (queda de 75%) Tráfico (queda de 45%) Roubo (aumento de 20%) Homicídio (aumento de 12%) Parabéns Gloriosa👊

 


Mês de Julho.


Uso e Consumo (queda de 75%)

Tráfico (queda de 45%)

Roubo (aumento de 20%)

Homicídio (aumento de 12%)



Parabéns Gloriosa👊

 


É com enorme pesar que comunico o falecimento do Tenente veterano Clemildo de Barbacena. Que Deus conforte familiares e amigos.

 É com enorme pesar que comunico o falecimento do Tenente veterano Clemildo de Barbacena. Que Deus conforte familiares e amigos. 


Mais da metade dos eleitores de BH desaprova o governo Lula

 AVALIAÇÃO ⤵️



*DATATEMPO: Mais da metade dos eleitores de BH desaprova o governo Lula*


Pesquisa mostra que avaliação negativa é apontada por 52,9% das pessoas entrevistadas


 

sargento da Polícia Militar foi esfaqueado em Juiz de Fora

 


Um sargento da Polícia Militar foi esfaqueado, na noite desta sexta-feira (19), quando chegava em sua residência no bairro Progresso Segue a nota da POLÍCIA MILITAR (boletim de ocorrência)

 Informações preliminares dão conta que o Sgt Coeli estava chegando em casa, de folga e a paisana, quando deparou com um casal fazendo uso de drogas e álcool em sua porta. Que foi tirar satisfação, momento que Lucas Silva de Oliveira, 38 anos, atentou contra o Sgt Coeli, desferindo facadas, sendo que uma pegou em seu crânio, entre o olho e a orelha. 0 Sgt Coeli caiu ao solo, mas conseguiu sacar sua arma e efetuar um disparo contra o autor.

 Sgt Coeli socorrido ao HPS por uma viatura PM. Chegou consciente, mas perdeu a consciência com suspeita de hemorragia intracraniana. Está bloco cirúrgico no momento

 Lucas Silva de Oliveira foi socorrido pelo SAMU e também está no HPS, inconsciente e no bloco cirúrgico.

 Lucas tem passagem por roubo, furto, estupro de vulnerável, lesão corporal.  REDS: 2024-032456040-001

sexta-feira, 19 de julho de 2024

Estão vibrando

 


* PCMG Toda

* PPMG Toda

*60 BPM

*7° BPM

*6° BPM

*5º BPM

Capitão ridiculariza Soldado que tentou suiicidio

No dia seguinte, o capitão Flavio Soares de Sousa, de São Bernardo do Campo, fez uma série de postagens ridicularizando a postura do soldado.

“Sem dignidade até para tirar a própria vida! Quem escolhe um caminho assume as consequências”, disse Soares. “Eu nunca vi algo selvagem ter pena de si mesmo, um pássaro cairá morto de um galho sem jamais ter sentido pena de si mesmo. Olhem que vergonha. Tenhamos pena”, complementou nos stories.

Receber denúncias e preservar a fonte, mesmo como testemunha em juízo, é uma prerrogativa do deputado, prevista na Constituição


sargentorodriguesoficial  Receber denúncias e preservar a fonte, mesmo como testemunha em juízo, é uma prerrogativa do deputado, prevista na Constituição, e tenho muita responsabilidade com isso. Até mesmo porque conheço bem como as coisas funcionam na Polícia Militar. Então, fiquem tranquilos para nos procurar, sempre que necessário for!  Respeito os procedimentos legais e formais e, por meio da Comissão de Segurança, daremos, sempre, os devidos encaminhamentos. Da mesma forma, continuaremos cobrando do Comando que apure e adote as providências cabíveis, mesmo que isso incomode a eles! Não é à toa que a Comissão tem sido, há anos, a principal trincheira na defesa dos servidores da segurança.

Um foragido da Justiça morreu durante uma troca de tiros com policiais militares durante uma perseguição no Anel Rodoviário, em Belo Horizonte, nesta sexta-feira (19).

 


'Guimê' perdeu o controle do veículo e subiu no canteiro do Anel RodoviárioFoto: Helicóptero BTN / FM O TEMPO

Um foragido da Justiça morreu durante uma troca de tiros com policiais militares durante uma perseguição no Anel Rodoviário, em Belo Horizonte, nesta sexta-feira (19 de julho). O criminoso bateu em cinco veículos e ainda derrubou um motociclista enquanto tentava escapar dos agentes.

'Guimê', como era conhecido o criminoso, foi visto pelos militares das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) em um carro de cor prata. Assim que os PMs começaram a persegui-lo, ele passou a dirigir em alta velocidade pelo Anel Rodoviário de BH.

“Na fuga, ele bateu em cinco veículos empreendendo a fuga. O foragido estava armado e aparentava estar sob efeito de entorpecentes. Ainda derrubou um motociclista”, disse o major Wilson Castelar, comandante da Rotam.

Um foragido da Justiça morreu durante uma troca de tiros com policiais militares durante uma perseguição no Anel Rodoviário, em Belo Horizonte, nesta sexta-feira (19). O criminoso bateu em cinco veículos e ainda derrubou um motociclista enquanto tentava escapar dos agentes. 

O foragido perdeu o controle do veículo ao tentar fazer uma ultrapassagem. “Ele foi desviar de uma carreta, porém acabou subindo no canteiro central do Anel Rodoviário. Nesse momento, ele desceu do veículo apontando a arma para os policiais. Os agentes tiveram que atirar para se defender, e ele foi morto.”

O major Castelar ainda ressaltou que 'Guimê' tinha “vasta passagem pelo mundo policial”. “Já tinha sido preso várias vezes. Recentemente esteve em um baile funk onde participantes apontaram armas de fogo para o alto. Ele era um deses”, esclareceu.

O motociclista atingido por 'Guimê' foi levado para o hospital pelos socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Os demais motoristas que tiveram os veículos danificados não sofreram ferimentos e registraram as queixas junto aos policiais

ATENÇÃO É UM MEME/PEGADINHA

 


Kkkk


ATENÇÃO: É UM MEME 




SEGURANÇA PÚBLICA

Romeu Zema quer acabar com o TPB da PMMG

 ○ treinamento policial básico atualmente é realizado a cada dois anos

 Por Gustavo Canuto 19/07/2024 15:22 . Atualizado há 20 minutos

 in

POLÍCIA MILITAR DE MINAS GERAIS OPN MTOS NOTICIAS

 Zema quer reduzir privilégios

○ Governador de Minas quer reduzir gastos e diz que o treinamento se tornou eficiente,uma vez que só atende as aspirações financeiras de quem recebe valores remuneratórios extras para estar lá o crime está crescendo em nosso estado, não faz sentido perder toda semana centenas de policiais nas ruas,para que uma pequena casta de privilegiados ganhe dinheiro"

SERVIDORES DA PENITENCIÁRIA DE FRANCISCO SÁ DENUNCIAM NORMAS IMPOSTAS PELA DIREÇÃO DA UNIDADE

 


sistemaprisionalmg

 SERVIDORES DA PENITENCIÁRIA DE FRANCISCO SÁ DENUNCIAM NORMAS IMPOSTAS PELA DIREÇÃO DA UNIDADE

*************************************************************

Servidores da penitenciária de segurança máxima de Francisco Sá, denunciam que a direção, por iniciativa própria, impôs uma nova norma em relação ao tempo de afastamento dos atestados apresentados.

Entendam o caso,

A penitenciária de Francisco Sá está localizada na zona rural e 75% dos servidores residem em outra cidade, por conta disso, é disponibilizado um transporte (ônibus) para os servidores se deslocarem. São três vezes por dia, com horário de saída e chegada.

Os questionamentos dos servidores são os seguintes:


01° Se eu vou para o trabalho às 08:00 no transporte da instituição e tenho uma consulta, perícia ou prova etc... às 10:00 como eu vou voltar para a minha cidade, para realizar essa tarefa? E logo após, como retorno ao trabalho novamente?

2° se o médico dá um dia (24h) de afastamento, esse tempo não tem que ser contado apartir da consulta, doação, internação etc?


3° se o servidor tem uma consulta marcada para 11:00 da manhã e o médico decide afastar o mesmo por um dia (24h) se ele retornar ao trabalho as 00:00? Ai não seria um afastamento apenas de 13h?

4° Levando em consideração a pergunta anterior (3°), Porque para trabalhar, (um) dia conta como 24h, já para atestado de doação, consulta, internação, repouso etc (um) dia conta como 13 horas?

5° porque que para ir trabalhar, a unidade prisional disponibiliza o transporte, mas para tratar um problema de saúde, possivelmente adquirida no ambiente de trabalho, eu tenho que arcar com as despesas da minha locomoção?


5° Levando em consideração que o horário da consulta, doação, prova, perícia etc. Não bata com o horário do ônibus, a unidade prisional disponibilizará um veículo para levar e trazer o servidor? Caso não disponibilize, irá ressarcir financeiramente os gastos que o servidor vai ter?


" Precisamos de uma referência legal que sirva de padronização para todas as Ups, e que não fique a mercer das iniciativas e decisões de diretores."

Zema diz que hoje Tarcísio é o mais forte para enfrentar esquerda, mas não descarta estar na disputa

 *ELEIÇÕES 2026 🗳️*



*Zema diz que hoje Tarcísio é o mais forte para enfrentar esquerda, mas não descarta estar na disputa*


Governador de Minas afirmou que Bolsonaro seria o melhor candidato, mas pontuou outros quatro nomes de direita; o ex-presidente está inelegível


🔎 Leia mais: https://www.otempo.com.br/politica/2024/7/19/zema-diz-que-hoje-tarcisio-e-o-mais-forte-para-enfrentar-esquerd.html

Romeu Zema quer concursos temporários para a Polícia Militar


Romeu Zema quer concursos temporários para a Polícia Militar

Governador disse que projeto tem sido discutido com coronéis, mas não tem data para ser apresentado

 


AUDIÊNCIA PÚBLICA

Clima hostil marca terceira convocação do ano do comandante geral da PMMG à Assembleia

Relação entre o comandante geral da Polícia Militar e deputados estaduais têm se desgastado após debate sobre reajuste, previdência e denúncias de policiais

Por Mariana Cavalcanti
Publicado em 17 de julho de 2024 | 15:27

A relação entre o comandante da Polícia Militar de Minas Gerais, coronel Rodrigo Piassi, e alguns deputados da Assembleia Legislativa sofreu um novo desgaste durante audiência pública na Comissão de Segurança Pública desta quarta-feira (17), que tratou sobre denúncias de assédio moral na corporação. Esta foi a terceira vez no ano que o comandante foi convocado a comparecer na Casa, em um encontro marcado por um tom hostil e indiretas lançadas tanto por Piassi, quanto pelo presidente da comissão, deputado Sargento Rodrigues (PL). 

Segundo apurou a coluna Aparte, a convocação do comandante da PM é vista, dentro da Assembleia, como um dos indicativos de que a relação dele com os deputados da Comissão de Segurança Pública tem se tornado insustentável. É importante destacar a diferença da condição de convidado e convocado: enquanto o primeiro pode recusar o chamado da comissão, o segundo deve comparecer obrigatoriamente, sob risco de crime de responsabilidade.

O comandante foi convocado para esclarecer os critérios do Programa de Incentivo à Produtividade (PIP), que serve para premiar policiais militares que mostrarem maior produtividade. A acusação recebida pela comissão é de que a Polícia Militar estaria premiando a emissão de multas e obrigando policiais a utilizar os próprios aparelhos celulares em suas atividades profissionais. As metas, segundo os parlamentares, seriam cobradas sob ameaças de transferências e avaliações negativas.

O comandante negou a acusação, e, sem citar diretamente o deputado Sargento Rodrigues, soltou indiretas referentes ao incentivo à “greve branca” dos policiais militares. Os servidores da segurança pública, há cerca de dois meses, tem aderido à estrita legalidade como forma de protesto ao índice de reajuste de 4,62% concedido pelo governo do estado, considerado baixo pela categoria. 

“Estarrecedor, para mim, é que haja uma vontade de desincentivar que os agentes de segurança pública trabalhem em prol da sociedade [...] Se isso [PIPs] gera dúvidas, inclusive para alguns policiais militares, que de vez em quando insistem em não trabalhar, é claro que nós vamos melhorar a forma de redação. O que nós não vamos fazer absolutamente é deixar de incentivar a produtividade, principalmente em um momento em que lideranças incentivam a não produtividade”, declarou Piassi. 

Defesa da tropa. Requerida pelos deputados Sargento Rodrigues e Caporezzo (PL), a audiência também convidou um capitão da polícia, que em 2015 foi acusado de assédio sexual e, desta vez, é acusado de constranger policiais a usar aparelhos celulares pessoais para trabalhar. O policial não compareceu à audiência sob orientação do coronel Rodrigo Piassi:

“Esse inquérito já foi solucionado e enviado para a Justiça. Entendo que a Assembleia tem competência para convocar secretários de Estado, mas não nossos servidores. De fato eu orientei que o capitão não iria comparecer, como nenhum outro irá comparecer. Cabe a qualquer comandante geral a defesa da tropa, e é isso que eu vou fazer”.

A fala foi vista pelo deputado Sargento Rodrigues como “falta de lisura e independência” do comandante geral. “Eu tenho notícia de outros parlamentares desta casa, seja da base, oposição, ou independente, que veem a permanência do comandante geral da Polícia Militar hoje no cargo como uma permanência que só traz dor de cabeça para o governo”, afirmou à coluna.

Também presente na audiência pública, com uma postura de amenizador do debate, o deputado Duarte Bechir (PSD) defendeu que as acusações sejam apuradas, mas manteve o tom amistoso com Rodrigo Piassi. “Quando o secretário de governo e comandante da Polícia Militar é convocado é porque se chegou ao extremo, antes dessa convocação tem que se esgotar todas as fases anteriores de indagações e acho que essas fases anteriores foram prejudicadas”.

O deputado Cristiano Caporezzo (PL) não compareceu à audiência pública porque se encontra em Uberlândia, onde até recentemente se colocava como pré-candidato à prefeitura. "Ainda estamos insatisfeitos com as denúncias que comprovam que Minas está gerando uma fábrica de multas, obrigando militares um número mínimo de multa. Fiscalização tem que ter caráter", declarou ao Aparte.

Histórico de mal-estar. Em abril deste ano, na sua primeira convocação, Piassi teceu críticas aos parlamentares por esperar 50 minutos para se pronunciar: “se fui convocado, não foi para ouvi-los, foi para que eu seja ouvido”. A fala foi duramente reprimida por Sargento Rodrigues, que levantou o tom: “quem dirige os trabalhos sou eu, não é o senhor, não é nenhum convocado, convidado ou secretário de Estado”.

Na época, o comandante havia sido convocado para discutir a recomposição salarial de perdas inflacionárias de 41,6% da categoria. Duas semanas depois, ele foi convocado novamente, desta vez para explicar a proposta do governo e Estado de criar uma alíquota de 3% para financiar a assistência em saúde dos militares (ISM), que hoje já tramita na Casa. No mesmo mês, uma audiência pública da Comissão de Segurança Pública foi abruptamente encerrada por Rodrigues após o chefe do Gabinete Militar do Governador, Carlos Frederico Otoni Garcia, comparecer sem a farda. 

Notícias exclusivas e ilimitadas

O TEMPO reforça o compromisso com o jornalismo profissional e de qualidade.

Nossa redação produz diariamente informação responsável e que você pode confiar. Fique bem informado!

Que a amizade, a união e a camaradagem sejam sempre fortes entre vocês. Que vocês encontrem sempre apoio e força uns nos outros. Parabéns pelo Dia do Amigo! #DiaDoAmigo #SegurançaPública #Homenagem #gratidao #blog #blogdarenata #blogdarenatapimenta

  Que a amizade, a união e a camaradagem sejam sempre fortes entre vocês. Que vocês encontrem sempre apoio e força uns nos outros. Parabéns ...