segunda-feira, 18 de dezembro de 2023

 🚨🚨🚨🚨🚨🚨🚨🚨🚨A questão do reajuste de 300% no vencimento do Governador Romeu Zema Neto não diz respeito ao prisma da legalidade ou não do reajuste. A questão é que, conforme reza a Constituicao do Estado de Minas Gerais, o Governador é o Comandante Supremo da Polícia Militar. Então,  um Comandante de uma tropa Militar, tem a obrigação de só receber um reajuste de vencimento, quanto toda a sua tropa tiver sido contemplada. É, no mínimo,  incoerente, dezarrazoado, o segundo Governador mais rico do país embolsar 300% de reajuste, enquanto a tropa Militar, do qual ele é o Comandante Supremo, completa dois anos sem a reposição da inflação. O mesmo raciocinio se aplica aos representantes da Segurança Pública na Assembleia, que receberam 36% de reajustes enquanto a tropa que eles dizem defender, não recebeu nada. Na minha opinião,  tanto o Governador,  quanto os Deputados da Segurança Pública, só deveriam receber qualquer reajuste, quando não houvesse NENHUM  OPERADOR DA SEGURANÇA PÚBLICA OU SERVIDOR DO ESTADO COM VENCIMENTO DIMINUIDO POR FALTA DE REPOSIÇÃO DE INFLAÇÃO. Com essa conduta o Governador seria aclamado como um verdadeiro Comandante Supremo que se preocupa com seus soldados e os Deputados da Segurança Pública verdadeiros lideres da tropa no parlamento. É só a minha opinião! MENDONCA


O outro afago de Zema ao PL na Assembleia Governo articula novo projeto para reajuste de forças militares

  O outro afago de Zema ao PL na Assembleia Governo articula novo projeto para reajuste de forças militares E a escolha da deputada estadual...