sábado, 4 de fevereiro de 2023

 

otempo

 


🚨 VÍTIMA SEGUE INTERNADA - Uma amiga do cabo da Polícia Militar que foi espancado em uma boate de Contagem na madrugada de sexta-feira (3), conversou com a reportagem de O TEMPO e relatou o que viu na noite das agressões. Ela afirma que não houve desentendimento por causa de mulheres e que os agressores partiram para cima da vítima após descobrirem que ele é policial.


Segundo a fonte, ela esteve com o militar durante toda a noite. A mulher garante que o homem não estava envolvido na confusão inicialmente. A amiga conta que os agressores brigaram entre si na boate e o cabo da PM tentou apaziguar a situação. A briga teria sido apartada com a ajuda do policial. “Depois disso, ele foi até o balcão pegar outra cerveja, porque jogaram a dele no chão. Ele não tinha nada a ver com o ‘B.O.’”, relata.

Porém, segundo a amiga da vítima, os agressores descobriram que ele era policial. “Foram até ele no balcão para tirar satisfação. Tanto que o garçom me contou que eles já chegaram falando: ‘você está tirando? Você é policial, desgraça?’”, relembra.

Neste sábado (4), a Justiça decretou a prisão preventiva de dois homens, que teriam espancado o cabo. Outros três homens já foram presos em flagrante por tentativa de homicídio qualificado.

De acordo com a Polícia Civil, a investigação para apurar autoria, materialidade, motivação e circunstância do crime está em atividade na Delegacia de Contagem. O Cabo da PM continua no Mater Dei Betim-Contagem. O hospital não divulga estado de saúde dos pacientes, mas a Polícia Militar fará a atualização da situação da vítima quando necessário.

Votação de reajuste aos servidores mineiros é adiada em plenário Percentual de 3,62% proposto por Zema desagrada funcionários e gera desconforto, inclusive em deputados da base governista

  Votação de reajuste aos servidores mineiros é adiada em plenário Percentual de 3,62% proposto por Zema desagrada funcionários e gera desco...