segunda-feira, 24 de junho de 2024

 




A secretária de Estado de Planejamento e Gestão, Camila Neves, informou, nesta segunda-feira (24), que o governo ainda não sabe como pagará o aumento retroativo dos salários dos servidores da administração direta do Estado. De acordo com ela, durante prestação de esclarecimentos no Assembleia Fiscaliza, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a pasta conduz um estudo para determinar como serão feitos os repasses ao funcionalismo. 

“Temos uma situação fiscal extremamente delicada. Temos no dia 20 de julho uma data ainda mais agravada, se tivermos que voltar a pagar a dívida (de Minas com a União). Importante ressaltar que nossa situação é sensível, é preciso dar os passos que cabem nas nossas pernas. Nossos passos são cuidadosos”, declarou.

Ela declarou ainda que os servidores receberão os aumentos, de 4,62%, conforme aprovado em lei pela ALMG, a partir do 5º dia útil de julho. O coeficiente é equivalente à inflação do ano de 2023 e não representa aumento real para os vencimentos dos servidores do Estado. 

“A própria lei aprovada prevê retroativo de janeiro até o dia da promulgação da lei, e o Estado não tem nenhuma intenção de não cumprir a lei. Estamos fazendo estudos internos para ver como se dará", declarou Camila.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.