sábado, 20 de abril de 2024

vereadora Professora Daniela (PL) acionou a comandante do batalhão na época para que sua filha fosse liberada. Ela entrou em contato com o policial, que desobedeceu a ordem.

 O Tribunal de Justiça Militar anulou dois processos administrativos movidos contra o sargento Alan Fabrício Ferreira da Polícia Militar de Marília (SP) por guinchar o carro onde estava a filha de uma vereadora da cidade, que estava com o licenciamento vencido e os pneus gastos, durante uma blitz, em agosto de 2020. A decisão foi emitida nesta segunda-feira (15).


Com a decisão, os dois procedimentos de exoneração contra o sargento foram extintos. Um já tinha sido arquivado e o segundo, do ano passado, foi anulado no início do ano. Entre as punições previstas contra Alan, estavam cinco dias de detenção, agora anuladas pela decisão.O militar teria sido pressionado pela comandante do batalhão na época, Marcia Cristal Gomes, que entrou em contato com ele, após ser acionada pela vereadora Professora Daniel (PL), e determinou a liberação do carro, o que não foi feito. Naquele ano, o sargento chegou a ser transferido pelo descumprimento da ordem (ouça a conversa acima).

A defesa do PM disse que ele está atuando normalmente na corporação. O advogado ainda revelou que a defesa pretende processar o estado por perseguição ao policial.

Toda a conversa teria ocorrido por causa que o policial guinchou o carro da vereadora que estava com licenciamento vencido em Marília — Foto: TV TEM/ Reprodução
Toda a conversa teria ocorrido por causa que o policial guinchou o carro da vereadora que estava com licenciamento vencido em Marília — Foto: TV TEM/ Reprodução

  sindpolmgoficial  Na tarde dessa segunda-feira (17/06), as entidades de classes foram surpreendidas em Araxá com uma tentativa de atearem ...