segunda-feira, 29 de abril de 2024


 Um homem de 34 anos diz que foi 4gredido por um grupo de soldados da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) durante um curso de formação do Batalhão de Choque. De acordo com a vít1ma, identificada como Danilo Martins, a 4gressão teria ocorrido na última segunda-feira (22/4).


O Metrópoles teve acesso ao depoimento prestado pela vít1ma à Corregedoria da PMDF e à Promotoria de Justiça Militar do DF. No documento, Danilo, também participante do curso, afirmou que as 4gressões tiveram início após ele se recusar a desistir da formação.

Segundo o documento, por volta das 8h15, o coordenador do curso de Patamo o retirou de forma no momento da apresentação dos uniformes e itens do curso. O superior teria dito que o soldado “não formaria no curso, e que ele não mediria esforços para fazer com que ele desistisse, nem que fosse na base da ‘trairagem’”.

“Ainda falou ao declarante que o desligaria do curso por deficiência técnica ou lesionado”, completa o depoimento. Danilo diz que se recusou a desistir.

Com isso, o tenente responsável pelo curso teria dito aos outros praças: “Estão vendo esse m*rda aqui? Ele não vai formar e quem ousar ajuda-lo também será desligado do curso.”

Depois disso, tiveram início as t0rturas e 4gressões. O tenente mandou Danilo ir para uma espécie de caixote de concreto onde o depoente foi obrigado a ficar em pé por cerca de 1h30 e o proibiu de participar das atividades do dia.

“O tenente voltou ao local trazendo uma ficha de desistência, um capacete e um fuzil. O ordenou a empunhar o fuzil e ficar na posição de pronto-arma (fuzil cruzado no peito, sem encostar) durante aproximadamente 30-40 minutos sob a supervisão de dois soldados.”

  sindpolmgoficial  Na tarde dessa segunda-feira (17/06), as entidades de classes foram surpreendidas em Araxá com uma tentativa de atearem ...