sábado, 23 de dezembro de 2023

Esse texto é digno de ser laureado pelas palavras de Monteiro Lobato: _*"Há dois modos de escrever. Um, é escrever com a ideia de não desagradar ou chocar ninguém (...) Outro modo é dizer desassombradamente o que pensa, dê onde der, haja o que houver - cadeia, forca, exílio."*_

 Esse texto é digno de ser laureado pelas palavras de Monteiro Lobato:  _*"Há dois modos de escrever. Um, é escrever com a ideia de não desagradar ou chocar ninguém (...) Outro modo é dizer desassombradamente o que pensa, dê onde der, haja o que houver - cadeia, forca, exílio."*_


Passados 26 anos do movimento de 97, embora significativas conquistas para a tropa, um pequeno grupo (que inicialmente esteve   representando  os interesses da tropa) e seus séquitos se transformou numa espécie de sumidade ditadora que não abre mão dos poderes nos quais se instalaram, mesmo que para isso tenha que engordar a todos e sufocar qualquer voz que não os glorifique.


Bem disse o Cel Mendonça , _*são oásis*_ da segurança pública onde alguns poucos marajás se instalaram e de lá capitaneam suas articulações de poder distribuindo ilusões para a tropa. 


O silêncio deles em relação ao MIOSP demonstra exatamente o quanto esse movimento os está incomodando. Todos, associações e políticos, sabem da existência do MIOSP e de tudo o que estamos conversando, contudo,  estão numa sinuca de bico; afinal, se opuserem publicamente ao movimento serão desmascarados; se apoiarem sem antes reconhecerem o quanto se perderam na caminhada da busca dos direitos dos operadores, terão suas vergonhas expostas.


Tudo isso só reforça a importância da luta do nosso MIOSP enquanto ele permanecer puro, legal, democrático, acessível e focado em seus objetivos basilares.

  Um jovem de 23 anos foi condenado, nessa quinta-feira (16 de maio), a 14 anos de prisão por tentar atropelar cinco policiais, em Viçosa, n...