sexta-feira, 15 de setembro de 2023

Sindicatos do poder executivo cobram recomposição salarial

 


Sindicatos do poder executivo cobram recomposição salarial


O SINDPÚBLICOS-MG, juntamente com outros sindicatos que também representam os servidores do poder executivo, participou de uma reunião na tarde desta sexta-feira (15) com a Secretária de Planejamento e Gestão, Luisa Barreto e a Assessora de relações Sindicais, Helga Beatriz Almeida. 

A reunião foi solicitada pelo SINDPÚBLICOS-MG e teve como pauta a recomposição salarial dos servidores públicos, assunto de interesse comum. 

O diretor político do SINDPÚBLICOS-MG, Geraldo Henrique, iniciou a reunião agradecendo a secretária Luisa Barreto por receber os sindicatos juntos, já que essa é uma pauta de interesse comum. Em seguida questionou se o governador Romeu Zema cumpriria sua promessa de campanha de que os servidores públicos do estado não ficariam sem recomposição salarial nem um ano do seu mandato. O sindicalista esclareceu que as perdas entre 2013 e 2023 somam mais de 40%O representante do Sindfisco, Marco Couto, apresentou os números da receita e arrecadação do estado e falou que a tendência é que os números melhorem. Ele falou ainda que o artigo 37 da Constituição permite que o Estado conceda recomposição salarial independente de qualquer lei complementar.

Marcelo Delão da Silva, representando o Sinfasfisco, questionou as incentivos fiscais dados pelo Estado à empresas, como por exemplo o IPVA.

Nesse momento os demais sindicalistas solicitaram que o governo seja mais sensível com a situação dos trabalhadores e cumpra aquilo que foi prometido em campanha. 

A Secretária Luisa Barreto respondeu que neste momento o estado não tem fluxo de caixa para conceder a recomposição salarial aos servidores públicos. Afirmou que o problema não é a Lei, o único motivo para até o momento não ter apresentado qualquer proposta aos sindicatos é que não tem fluxo de caixa. 

O diretor Geraldo Henrique finalizou a reunião dizendo que manterá o diálogo com o governo em e que a atual situação dos servidores é insustentável.O representante do Sindfisco, Marco Couto, apresentou os números da receita e arrecadação do estado e falou que a tendência é que os números melhorem. Ele falou ainda que o artigo 37 da Constituição permite que o Estado conceda recomposição salarial independente de qualquer lei complementar.

Marcelo Delão da Silva, representando o Sinfasfisco, questionou as incentivos fiscais dados pelo Estado à empresas, como por exemplo o IPVA.

Nesse momento os demais sindicalistas solicitaram que o governo seja mais sensível com a situação dos trabalhadores e cumpra aquilo que foi prometido em campanha. 

A Secretária Luisa Barreto respondeu que neste momento o estado não tem fluxo de caixa para conceder a recomposição salarial aos servidores públicos. Afirmou que o problema não é a Lei, o único motivo para até o momento não ter apresentado qualquer proposta aos sindicatos é que não tem fluxo de caixa. 

O diretor Geraldo Henrique finalizou a reunião dizendo que manterá o diálogo com o governo Busca da solução de demandas e que aguarda que o governo reveja o tratamento que tem dispensado aos servidores. A Secretária Luisa afirmou que em breve se reunirá novamente com os sindicatos para continuar a negociação.

Participaram da reunião os sindicatos:

SINDPÚBLICOS-MG

Sintder

SISIPSEMG

Sindfisco

Sinfasfisco

Asthemg

Assima

Sindsaúde

Sinesp

Sindsema

Sindiof

A Câmara dos Deputados e o Senado Federal vão entrar em recesso informal em razão das festas juninas.

  A Câmara dos Deputados e o Senado Federal vão entrar em recesso informal em razão das festas juninas. Arthur Lira (PP) e Rodrigo Pacheco (...