sábado, 9 de setembro de 2023

 


*MAIS HOMICÍDIOS QUE O PREVISTO*


O desempenho da segurança pública na repressão e contenção dos homicídios em Minas Gerais no ano de 2022 foi abaixo das expectativas da Polícia Militar (PMMG). É o que mostra o resultado do relatório anual da Gestão de Desempenho Operacional (GDO) das unidades militares. Em Minas Gerais, a corporação buscava impedir os crimes de modo a ter uma taxa de homicídios por 100 mil habitantes que não ultrapassasse 9,99. No entanto, após um ano e 2.492 assassinatos computados no relatório, o resultado foi uma taxa de 11,64 homicídios por 100 mil habitantes, o que corresponde a 16,53% acima do esperado. A corporação afirma que é um dos atores responsáveis pelos níveis de criminalidade.


As metas de contenção da criminalidade que resultam em homicídios também não foram alcançadas em 16 das 19 Regiões Militares (RPM) nas quais a PMMG divide o estado de Minas Gerais (confira a tabela). As RPMs com mais altas taxas de mortes foram: Teófilo Otoni, Governador Valadares e Santa Luzia (Grande BH). As metas só foram superadas na 18ª RPM (Poços de Caldas), 13ª RPM (Barbacena) e 16ª RPM (Unaí). A área de pior contenção de homicídios e por isso com maior taxa de mortes por 100 mil habitantes foi a 15ª RPM, com sede em Teófilo Otoni, e que abrange 60 municípios, tendo batalhões sediados em Almenara e Teófilo Otoni, além de Companhias de Polícia Militar Independentes em Araçuaí e Nanuque, com uma população de aproximadamente 900 mil pessoas.


*Editorial:* Estado de Minas

*Data da publicação:* 090400Set2023-Sáb

*Disponível em:* https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2023/09/09/interna_gerais,1559041/mais-homicidios-que-o-previsto.shtml

Eu vou boic0tar